Fragmentos de tristeza II

1
02:44
Descanso na tristeza
Infinita.
Juntinho na solidão
Eterna...
É dor que parece
Interna,
Dentro dos meus olhos,
Grita...


Perto de um beijo a razão
Inverna.
Destino infeliz que auto-
Reabilita...
Quando meu verso apaga a
Escrita,
Cronologicamente da luz
Interna.


Acordar pelas noites com um
Preceito.
Roubando sorrisos em lágrimas que
Escorrem,
Para as inimigas invenções do
Peito.


Meus cavalos de neve
Correm,
Perdidamente triste sob um olhar
Perfeito.
Por onde literários e artríticos
Morrem.


Infinita tristeza encoberta de arte e
Sorte,
Cheia de luz e
Morte...


Encontro-te,
E agora,
Amo-te...



GREDILHA,marcio.

Sobre o autor

Estudante, blogueiro, crítico e, nas horas vagas, aprendiz de poeta.

Um comentário :